Você sabe como tornar
sua empresa mais competitiva?

 

Foto para artigo

Muitas vezes, alguns gestores de empresas caem em uma armadilha que já se tornou hábito nas organizações: a de pensar que a única forma de tornar a empresa mais competitiva, com um menor custo, se dá apenas pela redução de pessoas. Obviamente, ter um headcount enxuto, e que consiga atingir os objetivos pré-estabelecidos, faz total sentido, mas, não se pode esquecer de que a otimização e a melhoria contínua nos processos são alternativas que trazem resultados significativos, se conduzidas de maneira integrativa e eficiente. 

Já ouvimos várias vezes a frase do tipo: “como nunca vimos isso antes?”, estamos várias horas por dia acompanhando esse processo, e alguém de fora, em tão pouco tempo já visualizou tal situação de melhoria e otimização... 

Isso ocorre por que as pessoas são consumidas pelas rotinas, e muitas vezes pela conformidade de que da forma com que está se executando determinado processo é a melhor possível, e também pelo fato de existirem pessoas com capacidade muito aguçada de ter visão de processos, visão enxuta e de identificar desperdícios que apenas oneram os resultados. 

Alguns exemplos de desperdícios, classificados de acordo com os 8 desperdícios da Filosofia Lean, que ocorrem nos processos das organizações são: 


Superprodução 

- Expedição de quantidades maiores do que as solicitadas pelo cliente;
- Adiantamento de atividades; 
- Falta de coordenação entre a demanda e a produção; 
- Arranjo físico inadequado levando a formação de grandes lotes de movimentação. 

Estoque

- Estoques “pulmão” entre processos além do necessário;
- Compra de matéria-prima em quantidade maior do que a necessária;
- Produzir grandes lotes acima das necessidades imediatas dos clientes.

Espera

- Espera por um caminhão que está atrasado;
- Embaladores aguardando a separação dos materiais;
- Atividades paradas devido à falta de informações.

Defeitos

- Entregar produtos no momento e local errado para o cliente;
- Separação errada de materiais a serem entregues para o próximo processo, com falta, excesso ou produtos trocados;
- Avaria dos materiais durante o transporte.

Transporte

- Transporte de um produto para um centro de distribuição (CD) distante da fábrica e depois o retorno dele para um cliente próximo a região da fábrica;
- Supermercados de materiais longe dos pontos de consumo.

Processamento Desnecessário

- Criação de processos que não agregam valor, muitas vezes devido a sistemas de informação mal parametrizados;
- Múltiplas conferências dos produtos: no fornecedor, no cliente e internas;
- Uso de ferramentas inadequadas aos processos.

Movimento Improdutivo

- Carregar e descarregar caminhões manualmente;
- Procurar itens gerados pela má organização dos estoques;
- Movimento de materiais e de operários decorrente de grandes estoques.

Intelectual 

- Esforço humano que não acrescenta nenhum valor ao produto ou serviço do ponto de vista dos clientes;
- Não uso das habilidades mentais, criativas, e físicas das pessoas;
- Falta de integração entre as áreas;
- Não ouvir as ideias.

São inúmeros os exemplos que podem ser dados quanto aos desperdícios e oportunidades de melhorias, os quais aumentam a certeza de que saber atingir resultados por meio de ferramentas e metodologias estruturadas é um grande diferencial, e faz com que se busque, constantemente, alternativas para tornar as organizações cada vez mais competitivas e preparadas para os desafios que surgem no dia-a-dia.

Isso faz com que cada vez mais aumente a busca por profissionais que estejam em constante aprimoramento e desenvolvimento de competências, que sabem que para chegar a lugares diferentes, precisam, muitas vezes, fazer as coisas de forma diferente.

 

Focus – Conhecimento que Leva à Liderança.
(67)3522-0555 / 99321-5054 /

  

Voltar à Leitura Complementar